31 de dezembro de 2017

Resoluções de 2017: o que foi cumprido por mim esse ano

Dia 31/12/17 às 02h15 da manhã e eu tive vontade de fazer esse post. Antes de ir direto ao assunto, o meu sumiço por aqui foi a loucura que esteve a minha vida nesses últimos meses. Eu achei que daria para conciliar tudo, mas mero engano meu! rs

Me formei, gente. Fiz um TCC incrível. Fui efetivada no trabalho… E essas são algumas das coisas que aconteceram nesse ano, que desculpa pelo palavreado a seguir: que puta ano! 2017 parecia que não tinha fim devido a tanta coisa que aconteceu.

Resoluções de 2017 

Sei que para algumas pessoas um ano não significa muito, são apenas doze meses que expressam uma quantidade de tempo. Mas eu, particularmente, gosto de pensar em tudo o que eu fiz, vivi e, acima de tudo, o quanto eu cresci nesse tempo. Enfim, tive vontade de compartilhar por aqui alguns dos meus sentimentos e tudo que esse ano reservou para mim <3

  • Aprender a ser forte e lidar com problemas

Eu tenho a sensação de amadurecimento em todo final de ano, mas 2017 em específico eu tive um crescimento muito grande em relação a tudo. O fato de ter saído de um estágio em que eu era considerada “café com leite” e ter ido para outro em que eu tenho responsabilidade de lidar com grandes projetos, o fato de ter me formado e o falecimento da minha avó, principalmente, me mostraram o quanto eu sou forte, ou pelo menos, me fizeram ser.

via GIPHY

  • Não deixar para amanhã

Uma coisa que eu definitivamente fiz esse ano foi não deixar de ter feito algo que eu queria muito. Em 2017 eu preferi fazer tudo que me viesse à mente e vivenciar momentos sem pensar muito nas consequências que pudessem vir adiante. Apesar de ter me tornado uma pessoa um pouco mais impulsiva do que eu era, não me arrependo de ter deixado de ser um tanto quanto racional. Eu pensava demais em determinadas coisas que acabavam me levando a desistir de fazê-las. Um exemplo é o meu novo corte de cabelo e a minha mudança de estágio.

via GIPHY

  • Entender as pessoas e exercer empatia

Essa palavrinha tão mágica, que muitos sabem o significado, porém poucos conseguem exercer, me acompanhou demais esse ano. Algo que me ocorreu muito foi a decepção com algumas pessoas. Em diversas situações eu sempre me coloco no lugar do outro e acredito que isso é algo que todos devem levar pra vida. Devemos saber enxergar a alma do outro sem julgar nada do que está ali. Respeitar o tempo e espaço de cada um, compreender que as dores pesam de jeitos diferentes dentro de cada pessoa. Nem sempre o que é fácil para você, também vai ser para o outro.

via GIPHY

  • Poucas amizades, mas suficientes

Eu sempre fui uma pessoa que adorava ser rodeada de amigos e, além disso, demonstrar o quanto eu os amo e os quero por perto. No entanto, eu aprendi que não são todos que vão estar do meu lado realmente para tudo o que eu precisar. Ter 2000 amigos no Facebook, X seguidores no Instagram, e não poder contar com 1/3 daqueles que estão ali não adianta de nada. Logo, comecei a valorizar mais as minhas amizades, aprendi em quem realmente confiar e, apesar de ter reduzido bastante a quantidade, comecei a levar comigo aqueles que eu tenho certeza que estarão ao meu lado sempre.

via GIPHY

  • Estudo e dedicação

Eu nunca fui uma aluna que sentava na primeira cadeira da sala, nunca tive o caderno mais completo de todos e também não era daquelas que prestava total atenção em todas as aulas. Mas eu sempre valorizei o que os meus pais fizeram por mim e, a partir do momento em que eu tive a oportunidade de cursar uma das faculdades mais caras aqui do Rio, me esforcei ao máximo para fazer com que tudo pudesse valer a pena. Como o meu ritmo de trabalho aumentou e a faculdade me demandou muito mais tempo, acabei me abdicando de vários finais de semana e minhas noites de sono foram reduzidas drasticamente. Muitas das vezes cheguei em casa tão cansada ao ponto de só querer me tacar na cama. Contudo, o mais recompensador era saber que no final do dia, todo aprendizado tinha valido a pena.

via GIPHY

Esse ano me mostrou que a vida não é feita somente de momentos bons, mas que tudo tem um motivo a fim de nos trazer algum aprendizado e nos deixarmos cada vez mais fortes. A vida é uma despedida constante do que somos agora e o que vamos ser adiante. Estou ansiosa e de braços apertos para 2018!

0 comentários

Deixe seu comentário