Categoria: Entretenimento

06 de novembro de 2017

As maiores referências da cultura pop de Stranger Things 2

  • Mad Max

O nome do primeiro episódio é o apelido que a nova personagem, Maxine, se tornou conhecida em Hawkins. Esta é uma referência ao filme Mad Max. Uma outra referência ao filme é vista quando um funcionário do fliperama a chama de Road Warrior, o título do segundo filme da saga.

  • ET

Na noite de Halloween, Eleven fica mega ansiosa para poder brincar igual as outras crianças. Pensando nisso, ela vai em busca de um lençol e fura dois buraquinhos nos olhos. No filme E.T. – O Extraterreste, o pequeno alienígena usa a fantasia de fantasma para não ser identificado na noite de Halloween. Os irmãos Duffer nunca esconderam que inspiraram Eleven neste filme.

via GIPHY

  • 353

Este foi um easter egg revelado pela própria Netflix em seu Twitter Oficial. Como pudemos ver ao longo da série, Mike chamou Eleven todas as noites, em uma sequência de 353 dias. E, ao somar os números (3 + 5 + 3), você obtém o número onze.

  • Negócio Arriscado

Quando Steve e Nancy vão a uma festa de Halloween, suas fantasias se divergem bastante dos demais, uma vez que estão todos de zumbis e caça-fantasmas. Eles, por outro lado, estão iguais aos personagens de Tom Cruise e Rebecca DeMornay no filme Negócio Arriscado, de 1983.

  • Indiana Jones

Indiana Jones também é uma das maiores influências dos autores de Stranger Things. Quando Joyce e Bob ajudam a resgatar Hopper dos túneis sob os remendos de abóbora, ele agarra seu chapéu de maneira semelhante a Indy, que sempre volta para pegar seu chapéu.

Existem diversas outras referências e easter eggs em Stranger Things. Alguns clássicos como Karate Kid, Star Wars e Gremlins também são lembrados durante a trajetória da segunda temporada.

0 comentários
12 de julho de 2017

5a temporada de Orange is the New Black

Orange is the New Black é uma série de televisão americana desenvolvida por Jenji Kohan. A série se baseia na história verídica de Piper Chapman, uma mulher que tem sua vida virada de cabeça para baixo no momento em que deve cumprir pena por tráfico de drogas cometido há anos atrás.

Em 9 de junho foram disponibilizados novos episódios e, como é uma série rápida de assistir – com 13 eps em cada temporada, eu terminei tudo em uma semana. Resolvi, então, contar para vocês tudo o que eu achei sobre a quinta temporada de OITNB!

Leia também: Confira alguns dos melhores filmes segundo Hollywood

Bom, eu tenho que confessar que o final da quarta temporada mexeu bastante com o meu emocional. A Poussey era uma das minhas personagens preferidas e, quando eu me deparei com a morte dela, fiquei sem chão. Não conseguia parar de chorar e fiquei triste com isso por um bom tempo.

Confira uma pequena resenha da quinta temporada

Após quatro anos de muito sucesso, OITNB decidiu adotar um novo formato para essa nova temporada. E a grande novidade desse ano foi o fato de englobar apenas três dias de história. Dessa forma, toda a trama foi passada em apenas 72 horas.

Como pudemos ver, a quarta temporada terminou com uma revolta em grande escala na sequência da morte de Poussey. A nova nova temporada começou então com Daya apontando uma arma para o guarda Humphreys, o que se desdobrou em uma intensa rebelião em Litchfield.

No entanto, usar esse poder diante das autoridades não será uma tarefa fácil. Algumas das detentas simplesmente querem aproveitar a fama que a rebelião lhes proporciona, enquanto outras como a Taystee querem usar essa oportunidade para obter justiça para Poussey.

Rebelião da quinta temporada de OITNB.

Minha opinião sobre a quinta temporada

Eu fiquei bem triste (de novo) ao começar essa nova temporada, pois ela me fez lembrar novamente do que houve com a Poussey. Além disso, os primeiros episódios me deixaram um pouco desanimada. Eu estava com a sensação de que estava chato e juro que fiquei até com preguiça de continuar.

Na  minha opinião, a temporada foi ficar boa de verdade no quarto episódio. Gente, o que foi aquele show de talentos dos guardas? Em especial o strip-tease do guarda Stratmann. Eu não conseguia parar de rir, foi umas das cenas mais engraçadas ao longo da série inteira para mim.

GIF guarda Stratmann - Orange is the New Black.

As detentas aprendem uma verdade difícil quando tomam o controle da prisão: a revolução não é fácil – especialmente se você não sabe quase nada sobre as mídias sociais devido a anos atrás das grades. Eu adorei Maritza e Flaca dando uma de Youtubers e conseguindo uma ótima repercussão na internet!

Eu li recentemente que a rebelião foi inspirada em eventos reais. As roteiristas se inspiraram em Attica, rebelião que aconteceu em Nova York nos anos 70, e terminou com a morte de 39 pessoas. A quinta temporada, portanto, nos fazer sentir na pele o que é ser tratada nas piores condições.

Meu sentimento ao terminá-la foi completamente divergente do que eu havia sentido nos primeiros episódios. Eu me surpreendi, mesmo. Acredito que tenha sido a melhor temporada até agora e que vai ser difícil alguma chegar aos pés dessa.

E vocês, o que acharam da nova temporada de OITNB?

0 comentários
20 de junho de 2017

Confira alguns dos melhores filmes segundo Hollywood

No ano passado, foi divulgada uma lista dos cem melhores filmes de todos os tempos segundo a revista americana The Hollywood Reporter. Ao todo, mais 2.000 especialistas da indústria cinematográfica foram convocados para responder a enquete.

O Poderoso Chefão foi o grande vencedor, mas a lista contém vários outros clássicos que devem ser assistidos por todo mundo alguma vez na vida.

Claquete. Os melhores filmes segundo Hollywood.

É claro que gosto é muito relativo e o título de “melhores filmes” pode variar de pessoa para pessoa. Contudo, eu acabei me deparando com alguns clássicos pelos quais eu sou apaixonada e acredito que quem ainda não assistiu, deve dar pelo menos uma chance!

Confira alguns dos melhores filmes segundo Hollywood

  • Pulp Fiction

Pulp Fiction trouxe à década de 90 uma visão completamente diferente do que o público estava acostumado. Uma das principais obras de Tarantino, o filme narra três histórias diferentes, porém entrelaçadas, sobre dois assassinos profissionais. O casting conta com Uma Thurman, John Travolta e Samuel Jackson, ambos com uma atuação incrível!

Pulp Fiction.

  • Into The Wild

O filme conta a história verídica de Christopher McCandless, um jovem americano que decide largar tudo para viver em busca de liberdade. Com um novo nome, Alex Supertramp, tinha como objetivo chegar ao Alasca e viver sozinho na natureza selvagem. O filme tem a característica de mexer com a emoção das pessoas, e também nos traz vários ensinamentos e reflexões diante da vida.

Into The Wild.

  • O Iluminado

Stanley Kubrik adaptou a obra que teve uma das cenas mais marcantes da história do cinema. Jack Nicholson atua como um homem que é contratado para ficar vigiando um hotel em baixa temporada. Sendo assim, ele e sua família se mudam para o local. Mas, desde a chegada, o personagem começa a apresentar transtornos de personalidade, tornando-se cada vez mais agressivo.

O Iluminado.

  • Clube da Luta

O filme conta uma narrativa não linear. Um personagem, que em nenhum momento nos é apresentado por nome, tem uma vida confortável. Porém, em um dado momento, ele começa à ter insônia, e como forma de relaxamento decide frequentar grupos de ajuda. Nesses encontros, o jovem conhece pessoas como Tyler, interpretado por Brad Pitt, que lhe apresenta ao clube da luta.

Clube da Luta.

  • Laranja Mecânica

Dirigido por Stanley Kubrik, o filme é um dos mais polêmicos da história. O protagonista Alex Delarge é líder de uma gangue que comete vários tipos de violência pela cidade. Entretanto, o jovem acaba sendo preso e submetido à um condicionamento psicológico que foi criticado por muitas pessoas que assistiram a obra na época. Todavia, Laranja Mecânica é um clássico que trás várias mensagens e atuações incríveis.

Laranja Mecânica.

  • Um Estranho no Ninho

Jack Nicholson aparece na lista de novo, atuando brilhantemente como um prisioneiro que finge ser louco para fugir do trabalho na prisão. Dessa forma, ele é transferido para um sanatório, onde estimula os internos a se revoltarem contra as normas impostas por uma enfermeira do local. A trama trás uma discussão que aborda o questionamento de quem é realmente louco.

Um Estranho no Ninho.

Meus diretores preferidos são o Kubrik e o Tarantino e eu amo o Jack Nicholson interpretando! Então como vocês puderam ver, eles não tinham como ficar de fora da minha lista.

E vocês, já assistiram alguns dos filmes acima?

2 comentários
12 de maio de 2017

Playlist nostalgia no Spotify

Eu tinha prometido que iria compartilhar com vocês algumas playlists minhas do Spotify. E como hoje eu estou mega nostálgica, só ouvindo os Pops dos anos 2000 – 2010, resolvi criar uma playlist nostalgia!

Que adolescentes da “Geração Z” – os nascidos entre os anos 90 e 2000 – não se empolgavam ao ouvir Ja Rule e 50 cent nas festinhas? E quem não se amarrava em soltar a voz ao som de Forfun, Scracho e outras bandas desse mesmo estilo que ganharam destaque naquela época?

Fone de ouvido, playlist nostalgia.

Leia também: Dez músicas para colocar o pé na estrada

Que menina não era fã de Sandy Junior e não se apaixonou pelo Justin na sua fase baby? Admita que você cantava Musa do Verão e outras do Felipe Dylon SIM, colocava as mais deprês da Avril naquele dias que a nossa única vontade era sumir. E você, que também se dizia fã de High School Musical, comprou todos os CD’s e foi na pré-estreia de todos os filmes no cinema?

Confira a minha playlist Nostalgia

Essa playlist é para você que, assim como eu, saiu dos anos 2000 mas ele ainda não saiu de você. Apenas aperte o play e caia na nostalgia de 100 músicas comigo!

Gostaram da playlist nostalgia? Quais músicas vocês acham que ficaram de fora?

Obs: Eu ainda estou alinhando o meu perfil no Spotify, pois mudei de conta há pouco tempo. Mas quem quiser, pode me seguir lá!

0 comentários
12 de abril de 2017

Dez músicas para colocar o pé na estrada

O feriadão está chegando, e nada melhor do que aproveitá-lo viajando, né? E uma viagem perfeita pede uma playlist perfeita também. Eu amo colocar o pé na estrada e selecionar as músicas que tem mais a ver com o momento, que me fazem pensar e refletir na vida, me desligar de coisas do cotidiano. Sabe quando você põem a cabeça na janela do carro e fica se imaginando em um filme? Essa sou eu todinha! 

Músicas boas para viajar.

Foto: Pinterest

Estou pensando em criar algumas playlists no Spotify para compartilhar com vocês também! Mas enquanto isso, segue abaixo dez músicas que eu considero ótimas para colocar em viagens:

1. Cage the Elephant – Cigarette Daydreams

You can drive all night
Looking for answers in the pouring rain
You wanna find peace of mind
Looking for the answer

2. Oasis – Stand By Me

So what’s the matter with you?
Sing me something new…
Don’t you know?
The cold and wind and rain don’t know
They only seem to come and go away

3. The Fray – Over my Head

Everyone knows I’m in
Over my head
With eight seconds left in overtime

4. Novos Baianos – Mistério do Planeta

Vou mostrando como sou
E vou sendo como posso
Jogando meu corpo no mundo
Andando por todos os cantos
E pela lei natural dos encontros

5.  The Temper Trap – Sweet Disposition

A moment, a love
A dream, a laugh
A kiss, a cry
Our rights, our wrongs

6. Maroon 5 – Maps

The map that leads to you
Ain’t nothing I can do
The map that leads to you
Following, following, following

7. Flume – Drop the Game

I’ve been feeling old, I’ve been feeling cold
You’re the heat that I know
Listen, you are my sun!

8. The Kooks – Seaside

Do you want to go to the seaside?
I’m not trying to say that everybody wants to go
I fell in love at the seaside
I handled my charm with time and slight of hand

9. Coldplay – A Sky Full of Stars

‘Cause you’re a sky, ’cause you’re a sky full of stars
I want to die in your arms
‘Cause you get lighter
The more it gets dark
I’m going to give you my heart

10.  Além do que se vê – Los Hermanos 

É preciso força pra sonhar e perceber
Que a estrada vai além do que se vê

E aí, curtiu as músicas e vai pensar incluí-las na sua playlist de viagens? Caso vocês tenham outras sugestões, podem me mandar!

0 comentários
27 de março de 2017

Minhas três séries preferidas na Netflix

Desde que conheci a Netflix, nunca deixei de estar assistindo alguma série. Uma curiosidade sobre a empresa é que ela já existe desde 1997 no Estados Unidos, surgindo como um serviço de entrega de DVD’s pelo correio. Hoje em dia, o serviço de streaming permite que os usuários do mundo todo tenham acesso à uma variedade de filmes, séries e documentários.

O meu vínculo com as séries acaba sendo tão forte que às vezes eu posso estar em algum lugar pensando na hora de chegar em casa para ligar a TV, sério! Acontece que nunca consigo acompanhar mais de uma série ao mesmo tempo, sempre tenho que acabar uma para começar outra. Além disso, eu me apego e fico mega envolvida com a história e os personagens sempre!

Resolvi, então, compartilhar com vocês uma listinha das 3 séries que eu mais me apeguei ao longo desses últimos anos de convivência com uma das melhores companheiras para todas as horas, a Netflix! <3

Minhas séries preferidas na Netflix.

  • Friends

Não tem para onde fugir, já aceitei o fato de que Friends vai ser a minha série preferida para a vida toda. De verdade, devo ter assistido mais de 50 vezes já, até de trás para frente. Para os que não gostam de Friends (como isso é possível?), posso usar o mesmo argumento da cerveja e/ou açaí: experimenta de novo porque você não experimentou direito! Confesso que eu era esse tipo de pessoa, de vez em quando via na Warner alguns episódios avulsos e não via graça nenhuma.

Até que teve um dia que dei a louca e resolvi pedir o box com as 10 temporadas para um amigo meu. Gente, não preciso falar mais nada, né? Eu amo tanto, mas tanto! Friends é uma série que eu não tenho um personagem preferido como todas as outras que assisto. Eu consigo amar todos eles de um jeitinho único, cada um com suas particularidades, e isso é incrível.

Uma das coisas que eu mais admiro na série e, principalmente nos personagens, é o senso de humor e a amizade que eles transparecem, mesmo nos momentos mais difíceis. Meu maior sonho era poder viver dentro daquele apartamento em Nova Iorque, ter Rachel, Joey, Phoebe, Ross, Chandler e Monica como amigos e nos encontrarmos sempre no Central Perk, café onde eles se reúnem. A minha dica para quem diz não gostar é ver tudo desde o início, pelo menos tenta, vai.

Minhas séries preferidas: Friends.

  • Grey’s Anatomy

Grey’s é uma série que eu nunca imaginei que fosse gostar e muito menos me apegar tanto da forma que aconteceu. Comecei a assistir no ano passado por influência de uma amiga que falava o tempo todo de uma personagem que ela dizia ser igual a mim, a Izzie. Não pude negar, me identifiquei de cara com ela. Ela se destaca pela sua personalidade forte, é sensitiva, carinhosa e, principalmente, sentimental. A Izzie não é nenhum pouco racional. Ela é capaz de tomar uma decisão sem pensar muito, sempre com a certeza de que, naquele momento, é o melhor a se fazer.

Infelizmente, a personagem interpretada por Katherine Heigl não durou muito tempo (spoiler para quem não viu: ela não morreu não gente, apenas saiu da série). Falando especificamente nesse assunto, Grey’s tem bastante tragédias, então se assim como eu,  você não consegue aguentar a morte de um personagem querido, não veja! Pois é, acontece que eu vi. Vi e chorei muito, admito. Eu não tinha noção de que Grey’s fosse arrancar tantas lágrimas como conseguiu de mim.

Na Netflix tem disponível todas as temporadas até a décima segunda, que foi onde eu parei. Vocês têm noção de quanta coisa acontece naquele hospital em mais de dez anos? Pois é, meus amores, acontece MUITA coisa. Se você está disposto(a) a rir e sofrer emocionalmente (mais sofrer, ok?), recomendo de olhos fechados. É muito amor envolvido <3

Minhas séries preferidas: Grey's Anatomy.

  • Breaking Bad

Um belo dia eu resolvi começar a ver Breaking Bad e terminei a série em menos de um mês. Isso mesmo que você está lendo: cinco temporadas, cada uma com 13 episódios com cerca de 40 minutos em um único mês. O drama aborda a história de Walter White, um professor de química que vê a sua vida mudar ao ser diagnosticado com câncer terminal. Com medo de deixar a família sem recursos financeiros, decide usar todos os seus conhecimentos para fabricar metanfetamina.

E foi assim que surgiu a droga mais pura que o mercado de tráfico já viu. Jesse, o seu sócio, se é assim que eu posso chamar, foi seu aluno na escola. Eu sou completamente apaixonada pelo Jesse, gente. Nunca entendi o porquê disso, mas cheguei à conclusão que eu tenho uma queda pelo Aaron Paul, ator que interpreta o doido, drogado e perturbado do Jesse. Acho que tenho uma queda por homens com essas características também, triste realidade.

Essa semana eu li que alguns fãs transformaram as cinco temporadas em um único filme de duas horas. Com certeza esses consideram a série mais viciante do que metanfetamina (que piada ruim) hahaha. Então, para aqueles que têm vontade, mas falta tempo de assistir, está aí uma nova oportunidade! Mas se tiverem tempo, não deixem de assistir a série toda, porque vale muito a pena.

Minhas séries preferidas: Breaking Bad.

E aí, qual a sua série preferida disponível na Netflix? 🙂

8 comentários